ArtigosArtigos Externos

Por Que Nós Queremos Tanto Matar os Sims?

De tirar a escada piscina a criar incêndios propositais, todos tem um lado psicopata.

Vocês se lembram de tirar a escadinha da piscina e deixar os Sims se afogarem? Ou criar um incêndio intencional nas casas e remover todas as portas? O Vice fez um artigo super legal contando o por que de nós, Simmers, fazermos tanto isso ao longo do tempo.

Por Que Nós Queremos Tanto Matar os Sims? Nós Temos a Resposta

Lançado no ano 2000, a franquia The Sims é conhecida como um dos jogos de PC mais vendidos de todos os tempos. Se você é um dos poucos que não teve a oportunidade de jogar, trata-se de um simulador de vidas em que você controla o destino dos seus Sims, seja tornando-os atores preguiçosos ou magnatas dos negócios.

Mas para muitos de nós, uma de nossas coisas favoritas era gastar horas do nosso tempo encontrando novas formas cada vez mais extravagantes de matar os nossos Sims.

Por Que Nós Queremos Tanto Matar os Sims? Nós Temos a Resposta

Desde a criação dos jogos eletrônicos, pais e especialistas preocupados sempre tentaram culpar os vídeo-games para o que quer que seja uma sociedade doente. Se os seus filhos precisam de aulas de controle de raiva aos dez anos de idade, culpe os vídeo-games, não os valentões impiedosos da escola. Mas ainda assim, o The Sims nem sempre foi o centro das atenções para esses tipos de problemas criados pela sociedade, mas pensando bem, talvez deveria? Afinal, são poucos os jogos que precisam de muita pré-meditação para matar um personagem pixelado.

E hoje, como jovens adultos, e pensando sobre toda a matança que cometemos, o que é até desconfortável, eis a questão: Por que nós queremos matar tanto os Sims?

Minha primeira suposição antes de fazer uma análise a respeito é que todo mundo achava divertido matar seus Sims. De atear deliberadamente fogo enquanto enquanto eles faziam comida ou causar um pequeno acidente elétrico no banho, a morte no The Sims é cômica, e é provavelmente por isso que gostamos de experimentar as muitas possibilidades que elas podem oferecer – certo?

Aparentemente, esse não é o caso – algo que descobri quando procurei ex- jogadores de The Sims.

Fiz uma vaga publicação no Facebook perguntando se algum dos meus “amigos” tinha sido um jogador ávido do The Sims. Para minha surpresa, as respostas foram muitas. “Rosebud ;!;!;!;!;!;!;!;!” – um amigo respondeu, referindo-se ao famoso código de dinheiro no qual você ganha mil “Simoleons” (a moeda do The Sims), os pontos e vírgulas e os pontos de exclamação indicam um atalho para multiplicar os 1.000 Simoleons.

Outro amigo escreveu: “ESTOU PRONTO PARA ME ABRIR SOBRE ISSO. Eu senti como se tivesse aberto uma Caixa de Pandora para recuperar jogadores viciados, então juntei minhas descobertas e as levei a Adam Lobel – designer de jogos e especialista em psicologia social, atualmente formado pela Universidade de Genebra e membro do laboratório GEMH (Jogos para Saúde Emocional e Mental) na Holanda – que examinou os depoimentos dos meus entrevistados.

Por Que Nós Queremos Tanto Matar os Sims? Nós Temos a Resposta

Eu disse a Adam que, para minha surpresa, os ex-jogadores disseram que não gostavam de matar seus Sims e que, em vez disso, queriam cuidar deles e vê-los crescer. Eu também tinha meus próprios Sims com uma vida agradável, com os quais me importava imensamente, e sempre ficaria muito triste se eles morressem, mas ao mesmo tempo eu queria experimentar e ver o que aconteceria se eu removesse a escada da piscina ou mantivesse um Sim trancado em um quarto por muito tempo.

Adam ressaltou que precisamos analisar os motivos dos jogadores, especialmente no contexto de um “jogo sandbox” aberto como o The Sims . “Algumas pessoas jogam The Sims porque adoram a ideia de serem educadores”, explicou ele. “Outras pessoas podem jogar The Sims porque gostam de experimentar coisas e ultrapassar os limites”.

“Sempre me apeguei demais aos meus seres virtuais”, ele me disse. “Definitivamente, eu fiz tudo aquilo de remover as escadas da piscina enquanto eles nadam para que se afogassem posteriormente. Acho que minha motivação era ver quanto tempo eles aguentariam nadar constantemente antes de finalmente sucumbirem. E para assistir as reações de seus entes queridos enquanto eles tropeçam inconscientemente no falecido. Eu também matava os Sims para fazer a Dona Morte aparecer para que um dos meus Sims vivos pudesse seduzi-la. ”

Por Que Nós Queremos Tanto Matar os Sims? Nós Temos a Resposta

Com base nas minhas conversas sobre The Sims para este artigo, parece haver muitas ligações entre sedução e assassinato no jogo. Por exemplo, Lizzi, uma estudante de Londres, me disse que seus jogos “sempre iam de um jeito ou de outro”.

“Eu tinha uma família de Sims ruivos que era realmente saudável e os amava porque todos se combinavam e essa era definitivamente uma tendência idealista”, disse ela. “Então o outro lado do espectro era apenas uma anarquia total e acho que seria muito chato estragar tudo”.

Por Que Nós Queremos Tanto Matar os Sims? Nós Temos a Resposta

Entrei em contato com Adam para ver se tudo isso – incluindo minhas próprias experiências – era normal. Ele disse que é tudo ilustrativo de como a jogabilidade em geral é um domínio exploratório para a nossa psique. “Essa é a essência da filosofia que tentamos trazer para o estudo dos benefícios dos jogos”, disse ele. “Tentamos vê-los como um espaço seguro para o desenvolvimento emocional e a autodescoberta”.

Então, se você foi um dos muitos jogadores que mataram suas criações durante o boom do jogo no início dos anos 2000, é provável que você não seja um assassino no armário. E quem sabe o que você seria se não fosse isso.

Fonte
Vice
Tags

SimsTime

Depois de surfar uma onda de plumbobs e conversar com uma lhama no ShangSimla, este que vos fala está mais do que preparado para mantê-los informados sobre todas as novidades do mundo Simmer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar